Páginas

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Dormias

    Caias como folha seca
    Naquele campo cinzento,
    E a retina não montava tua imagem,
    Sentia-te longe, parecias fugir,

    Mas eu somente não enxergava
    Você dormir.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Das dificuldades

            Se tudo fosse mais fácil
            Não existiriam os formigueiros
            Nem muito menos as rainhas e as guerras.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Tereza é anjo

        Tereza morena
        Tereza calma
        Tereza calma, sozinha por querer.

        Vejo Tereza rondando o campo:
         - Em sonho Tereza é um anjo!
        Colhe jasmins perto de uma estrela, distraída e calma
        Não fura-se nos espinhos:
        - A rosa colhe Tereza e Tereza acolhe a rosa.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Nortunez

      Quando do longe luar do campo
      Sopra o canto a coruja,
      A nortunez invade o quarto...
      Ô, que pena tenho de dormir
      Imagino os meus peixes livres no rio, sais de manhã.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Separação

     No sol forte do planalto das lembranças,
     Corriam-se curvas as esquinas,
E o planalto redondo deteriorando-se              Em espaços longínquos soluçava, -Era hora de retornar ao préterito
     Mas, sem o contexto de sempre, antemão escapado.
    

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Se houvesse




Nem folha, nem linha,
Nem tinta, nem vida,
Havia o ar, o campo,
O coração batendo

Mas não havia
Em local algum
A felicidade de viver
Nem cem porcento
Natureza viva.